Terapia canabinoide / Cannabinoide therapy

Atualizado: 29 de jan.






A cannabis é uma planta que como tantas outras possui alguns compostos, cada um com suas características específicas, nesse caso são chamados canabinoides e entre eles estão o CBD (canabidiol) e o THC (tetra-hidrocanabidiol). O princípio ativo da primeira age no alívio da dor e promove um relaxamento, já o segundo tem poder analgésico e conforme descoberta feita em estudo no ano de 1973, auxilia no sono, além de ser usado em pacientes em tratamento de quimioterapia por aliviar as náuseas e estimular o apetite.
Evidências científicas na transição da década de oitenta para noventa, mostram que os seres humanos produzem naturalmente endocanabinóides pelo sistema ECS também presentes em alguns animais, sistema esse que regula processos como dor, humor, memória, sono, imunidade, etc, que tem receptores distribuídos pelo corpo todo.

A endometriose é uma doença autoimune de processo inflamatório crônico que causa dores incapacitantes de fato.

Com muitas pesquisas em crescente evolução já é possível constatar a deficiência clínica endocanabinóide que explica muitas doenças "misteriosas" e complexas ainda diante do olhar da medicina tradicional, é aí que entra a cannabis oferecendo esperança como tratamento, inclusive para a endometriose, onde o composto preenche a deficiência do ESC imitando as moléculas que produzimos naturalmente por ser um componente da natureza, colocando o sistema sobre controle novamente.

O sistema tem esse nome pela descoberta da menor quantidade de receptores CB1 no tecido endometrial de portadoras de endometriose, que acaba possibilitando a progressão da doença.

Em 2010 um estudo revelou que a ministração de canabinoide inibiu o crescimento do tecido endometrial, impedindo que a doença se alastre, além de promover o alívio total da dor como apontou outro estudo ao estimular esses mesmos receptores.

A cannabis reduz diarréias não só em portadoras de endometriose como em portadoras de Síndrome do intestino irritável, doença de Crohn, entre outras que afetam o sistema digestivo como um todo.

Sem contar que sua ação no organismo tem sido a salvação de inúmeros pacientes com fibromialgia e o preconceito existente com a cannabis tem se rendido mediante à tantos benefícios.

Também melhora a libido, comprovando o aumento da atividade sexual em outro estudo e desde o começo de 2019 se houve falar muito de um lubrificante a base da "maconha" que ficou conhecido como "XapaXana", nome dado pela criadora do produto, que é brasileira, mas mora no Uruguai e conta que um lubrificante com essa base já existia na Califórnia, mas à partir desse, numa mistura de óleo de côco com cannabis, nasceu o dela, que tem sido sucesso entre as endometríacas que sentem dores durante a relação. Há ainda, uma empresa norte americana que criou absorventes de introdução vaginal com base na infusão de uma solução com cannabis e quem usou, atestou a diminuição das dores pela ação local com seu benefício calmante.

Usado na pele e no cabelo, também, o CDB tem alto poder antioxidante, pode substituir a vitamina C e o resveratrol, por diminuir o estresse oxidativo, com poder maior que ambos em termos de rejuvenescimento.

No Brasil, o CBD foi reclassificada em janeiro de 2018 pela Anvisa que liberou a comercialização e registro de medicamentos derivados da cannabis, agora em junho de 2019 foi aprovado também o plantio por pessoas jurídicas para fins de uso medicinal e como aqui no nosso país é tudo muito recente para não dizer atrasado, ainda são poucos os médicos que trabalham com a terapia canabinoide e prescrevem o CBD e o THC, mas eles existem e praticam a medicina funcional Integrativa é só procurar por indicação na AMA+ME (Associação Brasileira de Pacientes de Cannabis Medicinal).

19/07/2019
Ariane Steffen

Cannabis is a plant that, like so many others, has some compounds, each with its specific characteristics, in this case they are called cannabinoids and among them are CBD (cannabidiol) and THC (tetrahydro cannabidiol). The principle active of the first acts in pain relief and promotes relaxation, the second has analgesic power and, as discovered in a study in 1973, helps in sleep, in addition to being used in patients undergoing chemotherapy to relieve nausea. and stimulate appetite.

Scientific evidence in the transition from the eighties to the nineties, shows that human beings naturally produce endocannabinoids through the ECS system also present in some animals, a system that regulates processes such as pain, mood, memory, sleep, immunity, etc., which has distributed receptors all over the body.

Endometriosis is an autoimmune disease with a chronic inflammatory process that actually causes disabling pain.

With many researches in increasing evolution it is already possible to verify the endocannabinoid clinical deficiency that explains many "mysterious" and complex diseases, even in the eyes of traditional medicine, this is where cannabis comes in offering hope as a treatment, including for endometriosis, where the compound fills the deficiency of the ESC by imitating the molecules we naturally produce because it is a component of nature, putting the system under control again.

The system got its name from the discovery of the smaller amount of CB1 receptors in the endometrial tissue of patients with endometriosis, which ends up enabling the progression of the disease.

In 2010, a study revealed that the administration of cannabinoids inhibited the growth of endometrial tissue, preventing the disease from spreading, in addition to promoting total pain relief as pointed out by another study by stimulating these same receptors.

Cannabis reduces diarrhea not only in patients with endometriosis but also in those with irritable bowel syndrome, Crohn's disease, among others that affect the digestive system as a whole.

Not to mention that its action on the body has been the salvation of countless patients with fibromyalgia and the existing prejudice against cannabis has surrendered through so many benefits.

It also improves libido, proving the increase in sexual activity in another study and since the beginning of 2019 there has been a lot of talk about a lubricant based on "marijuana" that became known as "XapaXana", the name given by the creator of the product, which is Brazilian, but lives in Uruguay and says that a lubricant with this base already existed in California, but from that, in a mixture of coconut oil and cannabis, hers was born, which has been successful among endometrial women who feel pain during the relationship . There is also a North American company that created vaginal inserts based on the infusion of a solution with cannabis and those who used it, attested to the reduction of pain by local action with its calming benefit.

Used in skin and hair, too, CDB has a high antioxidant power, it can replace vitamin C and resveratrol, by reducing oxidative stress, with greater power than both in terms of rejuvenation.

In Brazil, the CBD was reclassified in January 2018 by Anvisa, which released the marketing and registration of cannabis-derived medicines, now in June 2019 it was also approved the planting by legal entities for purposes of medicinal use and as here in our country it is all too recent not to say late, there are still few doctors who work with cannabinoid therapy and prescribe CBD and THC, but they exist and practice integrative functional medicine, just look for an indication in the AMA + ME (Brazilian Association of Patients Medicinal Cannabis).

Tradução Pietra Steffen
05/14/2020
28 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo