Autoimune sim / Yes, autoimune

Atualizado: 29 de jan.






Numa enquete feita em nosso grupo, hum mil novecentos e setenta e oito portadoras de endometriose assinalaram ter mais de uma doença autoimune incluindo a endometriose, que sim, comprovadamente não só em fatos da vida real que até vale muito mais que alguns estudos, dos quais, infelizmente, poucos são divulgados, atestam ser portadoras de outras doenças classificadas como autoimunes, onde a mais votada foi a tiroide de Hashimoto e o segundo lugar fica para a psoríase, que segue por ordem decrescente com a dermatite herpetiforme, alopecia areata, urticária, artrite reumatóide, doença celíaca, anemia hemolítica, colite ulcerativa, doença de chron, gastrite autoimune, doença da coagulação, síndrome de sjogren, vitiligo, lúpus, doença de graves, neuropatia, diabetes tipo 1, esclerose múltipla, hepatite tipo 1 ou 2, arterite temporal, pancreatite, cirro biliar primária, pênfigo, entre outras....

Nota-se que hormônios da tiroide são os mais afetados depois dos hormônios produzidos pelo sistema reprodutor também, por conversarem entre si quando um cai o outro tropeça e de fato a psoríase também está ligada ao estresse assim como é marcante essa característica no perfil da maioria das Endometríacas.

No ano de 2010 teve um estudo que fizemos questão de ressaltar, onde foi relacionado a Endometriose com a Autoimunidade e publicado na Revista Brasileira de Medicina, mesmo que muitos médicos ainda relutem mediante essa questão, as evidências não negam os fatos e a doença deve sim ter uma abordagem autoimune em termos de cuidados e tratamento.

Segue breve resumo desse estudo:

"A endometriose agrega uma série de teorias, a mais aceita, é o fluxo retrógrado, embora falha em explicar individualmente, dando assim, margem a outras hipóteses complementares como a autoimunidade, que pode ser evidenciada por uma série de mecanismos de natureza inflamatória, entre eles o polimorfismo do gene PTPN22, considerado um sinalizador da presença de doenças autoimunes e cogitado como futuro marcador de endometriose.
3 vertentes de análise foram observadas:
- Imunidade Humoral, na tentativa de avaliar as anormalidades, estudaram três grupos, sendo quarenta e cinco com endometriose, quinze lúpicas e vinte e uma saudáveis, entre dezoito e quarenta anos, o estudo apontou a presença de auto-anticorpos como FAN em 8% das pacientes com endometriose, 13% das lúpicas e nenhuma das saudáveis. O aspecto de associação entre doenças autoimunes e endometriose é amplo, englobando não só doenças reumatológicas, como também tireoidianas.
- Imunidade Celular, observaram que o recrutamento das células, ocorre em estágios mais precoces de endometriose, havendo um aumento de leucócitos no líquido peritonial de mulheres com endometriose em estágio mais recente, já nos estágios mais avançados, os autores apontaram para uma diminuição de monócitos, possivelmente pela diferenciação em macrófagos, estes estão altamente ativados no peritônio das pacientes, sucitando a hipótese de que possam ter papel crucial na resposta imune da doença. É necessário que o bloco de endométrio que migrou por refluxo até a cavidade abdominal, seja suficientemente hábil para se esquivar do sistema imune e ali permanecer, e essa permanência se dá primeiramente por meio de uma deficiência imunológica.
- Gene PTPN22, esse gene presente no cromossomo 1p13, codifica a proteína fosfatase tirosina linfoide, cuja alteração leva a ocorrência de fenômenos autoimunes, em pacientes com endometriose demonstraram a presença de polimorfismo do PTPN22, nesse contexto, acredita-se, que seja não só um indicador de autoimunidade, mas também um marcador de endometriose, sendo assim, bastante consistente em reforçar a hipótese da endometriose ser uma doença autoimune.
Conclusão: Indubitavelmente, o aprofundamento do provável mecanismo autoimune da endometriose guiará novas terapias, assim como elegerá marcadores confiáveis."

De lá para cá o que podemos ver é que portadoras da doença que focam em cuidar do sistema imunológico que está 80% localizado no intestino, sem bloquear a menstruação e sem o uso de drogas sintéticas, tem tido uma melhora significativa no quadro clínico e muitas, como eu já tem a remissão da doença comprovada em exames, não só a remissão da endometriose como no meu caso, da psoríase também que foi embora por tabela.

Agora precisamos entender, que tudo o que comemos cai nele, no intestino, e quando ele está deficiente, ele "vaza", cai na corrente sanguínea e causa a inflamação, então, é pela boca também que prejudicamos ou fortalecemos esse nosso sistema.

-O que prejudica? Alimentos industrializados, processados, alumínio, chumbo, drogas medicamentosas como antibióticos, anticoncepcionais, algumas vacinas, além de nossas emoções e sentimentos negativos, devida a ligação intestino X cérebro que também já está mais do que comprovada essa relação, tanto que o intestino já é considerado nosso segundo cérebro.
-O que fortalece ele? Comida de verdade, limão em jejum, cúrcuma, glutamina, enzimas digestivas, pré e probióticos, atividade física, uma dose de sol para absorver vita D e nossas emoções positivas e sentimentos bons.

Portanto quem tem endometriose pode desenvolver qualquer outra das mais de oitenta doenças denominadas autoimunes, muitas delas tem uma tendência genética, que acabam sendo desenvolvidas por fatores ambientais que a deflagram, cujo maior gatilho é o estrógeno estimulado por diversos fatores e olha só, quando temos um problema no coração procuramos um cardiologista, um pneumologista para cuidar do pulmão, assim como um ginecologista para olhar o sistema reprodutor e um proctologista para verificar o intestino, mas pasmem, não existe uma especialidade médica classificada para esse tipo de doença apenas e infelizmente nos deparamos com proctologista que não entende de autoimunidade e com ginecologista que nem tem conhecimento sobre doença autoimune nenhuma, é essa triste realidade que vivemos, pode se beliscar que é real, infelizmente!

Mas a boa notícia é que o tratamento não é com corticoide não como muitos médicos, geralmente clínicos gerais prescrevem e sim com mudanças no estilo de vida, sendo assim, doenças consideradas crônicas, não tem cura, mas tem remissão que é a mesma coisa, basta promover saúde e blindar o sistema imunológico para não pegar e nem contrair vírus, seja desde uma simples gripe ou desses surtos anunciados, como coronavírus, H1N1, dengue, chicungunha, hepatite, influenza, ebola, trata-se de vírus e a questão é como nos protegemos deles, sejam eles quais forem!

Quem corre o risco em crises de epidemia ou pandemia?

Idosos, crianças, portadores de doenças autoimunes DESCONTROLADAS e pessoas cuja a imunidade está baixa!

Você aí que se cuida, suplementa adequadamente, se alimenta com qualidade, dorme bem, pode ficar tranquila, é só manter a boa higiene pessoal e os cuidados já mencionados e divulgados durante essas crises, além de aumentar a ingestão de água que não tem segredo, é simples assim sim, são práticas que condizem com o amor próprio e dessa forma, nem gripe a gente pega de verdade, pode acreditar!

Entrar em pânico além de não resolver, contamina a inteligência e causa cegueira temporária eliminando qualquer possibilidade de encontrar o Norte, além de afetar diretamente o sistema imunológico abrindo a porta e deixando ele suscetível nesse caso aos vírus!

Então, calma, respira, foca na solução e use a sabedoria para BLINDAR SUA IMUNIDADE, o mais importante é divulgar saúde e não propagar a doença, vem com a gente nessa pegada porque quando a saúde reina não há doença que impere, borá lá!

31/05/2018 atualizado em 13/03/2020
Ariane Steffen

In a survey carried out in our group, one thousand nine hundred and seventy-eight patients with endometriosis reported having more than one autoimmune disease including endometriosis, which, yes, proved not only in real life facts, which is worth much more than some studies, of which , unfortunately, few are published, they claim to be carriers of other diseases classified as autoimmune, where the most voted was Hashimoto's thyroid and the second place is for psoriasis, which follows in decreasing order with herpetiform dermatitis, alopecia areata, urticaria, rheumatoid arthritis, celiac disease, hemolytic anemia, ulcerative colitis, Chron's disease, autoimmune gastritis, coagulation disease, Sjogren’s syndrome, vitiligo, lupus, severe disease, neuropathy, type 1 diabetes, multiple sclerosis, type 1 or 2 hepatitis, temporal arteritis, pancreatitis, primary biliary cirrus, pemphigus, among others ....

It is noted that thyroid hormones are the most affected after hormones produced by the reproductive system as well, as they talk to each other when one falls and the other stumbles and in fact psoriasis is also linked to stress as this characteristic is marked in the profile of the majority of “endometriacs”.

In 2010 there was a study that we made a point of highlighting, where it was related to Endometriosis with Autoimmunity and published in Revista Brasileira de Medicina, even though many doctors are still reluctant about this issue, the evidence does not deny the facts and the disease must take an autoimmune approach in terms of care and treatment.

A brief summary of this study follows:

"Endometriosis aggregates a series of theories, the most accepted one, is the retrograde flow, although it fails to explain individually, thus giving rise to other complementary hypotheses such as autoimmunity, which can be evidenced by a series of inflammatory mechanisms, among they the polymorphism of the PTPN22 gene, considered a sign of the presence of autoimmune diseases and considered as a future marker of endometriosis.
3 aspects of analysis were observed:
- Humoral immunity, in an attempt to assess abnormalities, studied three groups, forty-five with endometriosis, fifteen lupus and twenty-one healthy, between eighteen and forty years old, the study pointed out the presence of autoantibodies as ANA in 8% of patients with endometriosis, 13% of lupus and none of the healthy ones. The association aspect between autoimmune diseases and endometriosis is wide, encompassing not only rheumatological diseases, but also thyroid diseases.
- Cellular immunity, observed that the recruitment of cells occurs in earlier stages of endometriosis, with an increase in leukocytes in the peritoneal fluid of women with endometriosis in a more recent stage, already in the more advanced stages, the authors pointed to a decrease in monocytes, possibly due to the differentiation in macrophages, they are highly activated in the patients' peritoneum, suggesting the hypothesis that they may have a crucial role in the immune response of the disease. It is necessary that the endometrial block that migrated through reflux to the abdominal cavity, is sufficiently able to evade the immune system and remain there, and this permanence occurs primarily through an immunological deficiency.
- PTPN22 gene, this gene present on chromosome 1p13, encodes the lymphoid tyrosine phosphatase protein, whose alteration leads to the occurrence of autoimmune phenomena, in patients with endometriosis demonstrated the presence of PTPN22 polymorphism, in this context, it is believed that it is not only an indicator of autoimmunity, but also a marker of endometriosis, so it is quite consistent in reinforcing the hypothesis that endometriosis is an autoimmune disease.
Conclusion: Undoubtedly, the deepening of the probable autoimmune mechanism of endometriosis will guide new therapies, as well as elect reliable markers."

Since then, what we can see is that carriers of the disease that focus on taking care of the immune system that is 80% located in the intestine, without blocking menstruation and without the use of synthetic drugs, have had a significant improvement in the clinical picture and many , as I already have the remission of the disease confirmed in exams, not only the remission of endometriosis, but in my case, of psoriasis, which also left the table.

Now we need to understand, that everything we eat falls into it, in the intestine, and when it is deficient, its "leaks", falls into the bloodstream and causes inflammation, so it is through the mouth that we also damage or strengthen our system.

-What is prejudice? Industrialized, processed foods, aluminum, lead, medicated drugs such as antibiotics, contraceptives, some vaccines, in addition to our negative emotions and feelings, due to the connection between the intestine and the brain, which is already more than proven, so much so that the intestine is already considered our second brain.

We are a family owned and operated business.

-What strengthens him? Real food, fasting lemon, turmeric, glutamine, digestive enzymes, pre and probiotics, physical activity, a dose of sun to absorb vita D and our positive emotions and good feelings.

So who has endometriosis can develop any of the more than eighty diseases called autoimmune, many of them have a genetic tendency, which end up being developed by environmental factors that trigger it, whose biggest trigger is estrogen stimulated by several factors and look, when we have a heart problem we look for a cardiologist, a pulmonologist to take care of the lung, as well as a gynecologist to look at the reproductive system and a proctologist to check the intestine, but amazingly, there is no medical specialty classified for this type of disease only and unfortunately we come across a proctologist who does not understand autoimmunity and a gynecologist who does not even know about autoimmune disease, it is this sad reality that we live in, you can pinch yourself that is real, unfortunately!

But the good news is that treatment is not with corticosteroids, not like many doctors, generally general practitioners prescribe, but with lifestyle changes, so diseases considered chronic, there is no cure, but there is remission that is the same thing, it is enough to promote health and shield the immune system so as not to catch or contract viruses, whether from a simple flu or from those announced outbreaks, such as coronavirus, H1N1, dengue, chicungunha, hepatitis, influenza, ebola, it is a question of viruses and the question is how we protect ourselves from them, whatever they may be!

Who is at risk in epidemic or pandemic crises?

Elderly, children, people with out-of-control autoimmune diseases and people whose immunity is low!

You take care of yourself, supplement properly, eat with quality, sleep well, you can rest easy, just maintain good personal hygiene and the care already mentioned and disclosed during these crises, in addition to increasing water intake that has no secret , it is as simple as that, they are practices that are consistent with self-love and that way, we don't even get the flu, really believe me!

Panicking, besides not solving, contaminates intelligence and causes temporary blindness, eliminating any possibility of finding the North, besides directly affecting the immune system by opening the door and making it susceptible in this case to viruses!

So, calm down, breathe, focus on the solution and use the wisdom to BLIND YOUR IMMUNITY, the most important thing is to spread health and not spread the disease, come with us in this footprint because when health reigns, there is no disease that prevails, let´s go!

Traduzido por Pietra Steffen
04/27/2020
62 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo