A polêmica do glúten / The gluten controversy

Atualizado: 29 de jan.






"Se você não é celíaca, não tem porque não consumir", foi a frase mais sensata que já ouvi de um médico depois de inúmeras recomendações encontradas na internet para não usar, por conta de uma doença autoimune que inclui a endometriose.

O glúten é inflamatório, sim, por ter um alto índice glicêmico também, mas o equilíbrio é o segredo que muita gente parece desconhecer, assim como a carne bovina que entra em mais uma das inúmeras polêmicas existentes acerca da dieta anti inflamatória.

Quando optamos por comer algo "inflamatório" além de ter moderação e cautela precisamos buscar o equilíbrio de fato! Como faz isso? Incluindo nessa refeição alimentos alcalinos e anti inflamatórios, simples assim! Difícil? Não! Então qual a lógica do radicalismo? Nenhuma se você não é intolerante a essa proteína, sim, o glúten é um composto de proteínas, cuja molécula é grande e de difícil digestão e absorção!

Sabe porque antigamente era ok o consumo da farinha de trigo? Porque a fermentação era feita de forma natural, quebrando assim essas moléculas, facilitando a digestão!

Porque hoje o consumo causa transtornos a saúde? Porque além da fermentação ser química, a indústria alimentícia, permite a adição de vários outros componentes para enriquecer a farinha de forma não tão natural assim, infelizmente é uma realidade!

Aliás, a dieta recomendada para uma Endometríaca chega a ser desesperadora né. E o que eu fiz e aconselho à todas fazerem também? Passei dois meses sem glúten e ao introduzir novamente, mudei radicalmente a forma de consumo. Pão feito em casa, macarrão, feito em casa, pizza feita em casa, bolo feito em casa e tudo com uma farinha específica italiana, cuja cor e textura é totalmente diferente de qualquer produto brasileiro nosso! Sabe o que mudou? Tudo! O que eu pude observar com isso: que "PARA MIM" o que faz mal não é o glúten, acredito eu que o que realmente faz mal, são os aditivos que o comércio e a indústria alimentícia coloca na nossa farinha, enriquecida com ferro sei lá de que maneira e forma, além do enriquecimento com ácido fólico que eu, assim como a maioria das portadoras de endometriose tem um polimorfismo no gene que converte o ácido fólico em metilfolato e não metaboliza ele para sua forma ativa no organismo! (Veja o post gene, genética e epigenética que explica isso).

Melhor maneira de nos auto conhecer e saber se algo nos faz mal e se tem alguma coisa que nosso organismo não tolera é a prática da exclusão com a posterior reintrodução!

Desconfia que algo não cai bem? Escute seu sexto sentido, elimine por no mínimo sessenta dias que é o período que o organismo leva para "desintoxicar" e depois experimente voltar a consumir, a resposta do seu corpo será imediata e você vai conseguir listar o que é ok ou não para você!

Nosso corpo é único e tem suas necessidades e particularidades, precisamos conhecer e o que pode ser bom para mim, pode não ser para você, então, o que eu faço hoje quando me indicam uma dieta, eu testo em mim, sou minha maior cobaia de mim mesma, sério, somos nosso maior "termômetro" vamos dizer assim, se permita testar-se também.

Não é intolerante ao glúten e quer comer um pãozinho de vez em quando? Faça em casa com uma farinha de boa qualidade e pura, sal integral, água e fermentação natural de vinte e quatro à trinta e seis horas! Sim um pão de verdade só vai três ingredientes e a pasta só é acrescida de ovos e azeite, nada mais! Como dizem por aí, menos é mais! Mas se o caso for intolerante, cuidado com a contaminação do glúten em outros alimentos, essa contaminação acontece pelo ar, portanto na cozinha de uma celíaca jamais deve entrar nada que tenha glúten, nem por contaminação ok.

No mais, bom apetite com equilíbrio, sabedoria e moderação!

25/07/2017
Ariane Steffen

"If you are not celiac, there is no reason not to consume", was the most sensible phrase I have ever heard from a doctor after numerous recommendations found on the internet not to use, due to an autoimmune disease that includes endometriosis.

Gluten is inflammatory, yes, because it also has a high glycemic index, but balance is the secret that many people seem to be unaware of, as well as beef that enters another of the countless controversies about the anti-inflammatory diet.

When we choose to eat something "inflammatory" in addition to moderation and caution we need to really seek balance! How do you do that? Including alkaline and anti-inflammatory foods in this meal, as simple as that! Difficult? Not! So, what is the logic of radicalism? None if you are not intolerant of this protein, yes, gluten is a compound of proteins, whose molecule is large and difficult to digest and absorb!

Do you know why it was ok to eat wheat flour in the past? Because the fermentation was done naturally, thus breaking these molecules, facilitating digestion!

Why does consumption today cause health problems? Because besides the fermentation being chemical, the food industry allows the addition of several other components to enrich the flour in a way that is not so natural, unfortunately it is a reality!

In fact, the recommended diet for an Endometriac is quite hopeless, right. And what did I do and advise everyone to do too? I spent two months without gluten and when I introduced it again, I radically changed the form of consumption. Homemade bread, pasta, homemade, homemade pizza, homemade cake and everything with a specific Italian flour, whose color and texture is totally different from any Brazilian product of ours! Do you know what has changed? All! What I could observe with this: that "FOR ME" what is bad is not gluten, I believe that what really is bad is the additives that commerce and the food industry put in our flour, enriched with iron I know there in what way and form, in addition to the enrichment with folic acid that I, like most endometriosis patients, has a polymorphism in the gene that converts folic acid into methylfolate and does not metabolize it to its active form in the body! (See the post gene, genetics and epigenetics that explains this).

The best way to get to know ourselves and to know if something is bad for us and if there is something that our body does not tolerate is the practice of exclusion with subsequent reintroduction!

Do you suspect that something is not going well? Listen to your sixth sense, eliminate for at least sixty days that is the period that the body takes to "detoxify" and then try to consume again, your body's response will be immediate and you will be able to list what is ok or not for you!

Our body is unique and has its needs and peculiarities, we need to know and what may be good for me, it may not be for you, so what I do today when they tell me a diet, I test myself, I am my biggest guinea pig of myself, seriously, we are our biggest "thermometer" let's say so, allow yourself to test yourself too.

Not intolerant to gluten and want to eat a roll from time to time? Make at home with a good quality and pure flour, whole salt, water and natural fermentation from twenty four to thirty six hours! Yes, a real bread only uses three ingredients and the paste is only added with eggs and olive oil, nothing more! As they say, less is more! But if the case is intolerant, be careful with the contamination of gluten in other foods, this contamination happens through the air, so in the kitchen of a celiac should never enter anything that has gluten, even by contamination ok.

In addition, good appetite with balance, wisdom and moderation!

Tradução Pietra Steffen
​06/22/2020
99 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo